Chapecoense cria fundo para atrair investidores

Chapecoense cria fundo para atrair investidores; meta é arrecadar R$ 15 milhões

Clube pretende vender 30 cotas. Compradores terão direito a participação em vendas de atletas da base
A Chapecoense criou um fundo para atrair investidores e auxiliar no desenvolvimento financeiro do clube em 2020. São 30 cotas de R$ 500 mil, que totalizam R$ 15 milhões, caso todas sejam comercializadas.

O valor serve para diminuir o déficit de R$ 20 milhões previstos para a temporada. As cotas, portanto, reduziriam para R$ 5 milhões o prejuízo.

Quem realizar o investimento no clube terá direito à participação na venda de atletas da base ou profissionais que foram formados na própria Chapecoense. No projeto, 20% do valor arrecadado nas negociações irá para o fundo e posteriormente dividido entre os cotistas – 0,66% para cada.

As cotas tem validade de 48 meses. Ao final do período, a Chapecoense devolve o valor inicial de R$ 500 mil aos investidores, independentemente do lucro obtido com a venda de atletas. Até o momento, uma cota já foi vendida e um investidor de fora da cidade estuda a compra de outras quatro. O investimento pode ser feito por pessoas físicas ou jurídicas.

O valor de uma cota pode ser dividido em mais de um investidor, mas o título é gerado no nome de apenas uma pessoa ou empresa.

Os investidores não terão gerência no departamento de futebol e de base do clube, mas poderão nomear um representante para acompanhar as atividades do clube e os resultados financeiros mensais.

Por Eduardo Florão. Globo Esporte/SC

Foto: Marcio Cunha/Chapecoense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunistas

Informativo Cultural

Agenda

Devido a Lei de Quarentena da COVID-19, estaremos postando a agenda cultural de SC de 2020 após restabelecimento do controle da doença.

Facebook

Intervalo Cultural

Parceiros