Warner e Discovery se unem para criar gigante de streaming maior do que a Netflix

NOVA YORK — A gigante de telecomunicações americana AT&T selou o acordo para fundir sua marca WarnerMedia — que detém o estúdio Warner Bros e os canais HBO e CNN — com a rival Discovery, que reúne as marcas Discovery Kids, TCL, Food Network, Oprah Winfrey’s OWN, entre outras. O anúncio da fusão foi feito nesta última segunda-feira.

O negócio vai unir um dos estúdios mais poderosos de Hollywood, lar das franquias Harry Potter e Batman, com os programas caseiros, de culinária, de natureza e de ciência do Discovery.

Um dos objetivos é ajudar ambos os grupos a se reafirmarem no mercado de streaming. O valor avaliado para criação deste novo grupo de mídia é de US$ 150 bilhões (quase R$ 800 bilhões).

No portfólio da Discovery estão ainda o Animal Planet e o Discovery Channel. A empresa atualmente tem um valor de mercado, incluindo dívidas, de cerca de US$ 30 bilhões.

A fusão também seria uma reviravolta significativa para a AT&T, gigante das telecomunicações mais conhecida pelas linhas de fibra e torres de celular do que por produzir entretenimento e cortejar Hollywood.

Especialistas do setor questionaram a ousada compra da Time Warner pela AT&T em um momento em que o cancelamento das assinaturas de serviços de televisão a cabo estava começando a se acelerar.

Maior que Netflix e NBC Universal

A nova empresa será maior do que a Netflix ou a NBCUniversal. Juntas, WarnerMedia e Discovery geraram mais de US$ 41 bilhões em vendas no ano passado, com um lucro operacional de US$ 10 bilhões.

Essa soma colocaria a nova empresa à frente da Netflix e da NBCUniversal e atrás da Walt Disney Company como a segunda maior empresa de mídia dos Estados Unidos.

Para competir com a Netflix e com a Disney, a AT&T e a Discovery investiram pesadamente em streaming.

A AT&T gastou bilhões na construção do HBO Max, que agora tem cerca de 20 milhões de clientes. A Discovery tem 15 milhões de assinantes de streaming global, a maioria deles para seu aplicativo Discovery +. A Netflix tem mais 270 milhões de assinantes.

A fusão é uma reviravolta significativa para a AT&T, uma gigante das telecomunicações que entrou no mercado de mídia com sua incursão na Time Warner. No entanto, especialistas do setor questionaram o acordo da AT&T, dizendo tratar-se de uma estratégia de aquisição fracassada.

A WarnerMedia é dirigida por Jason Kilar, 50 anos, um dos pioneiros do streaming e o primeiro executivo-chefe do Hulu. O Discovery é liderado há 14 anos por David Zaslav, 60 anos, que o ajudou a se tornar um gigante da realidade. Zaslav vai liderar o novo negócio.

Negócio deve ser fechado em meados de 2022

As empresas disseram esperar que o negócio, que deve ser aprovado pelos acionistas e reguladores do Discovery, seja finalizado em meados do próximo ano.

Segundo a agência France Presse, quando o negócio for concluído, a AT&T receberá US$ 43 bilhões e seus acionistas terão 71% da nova empresa, enquanto os acionistas da Discovery ficarão com 29%.

John Stankey, o presidente-executivo da AT&T, viu seu negócio de mídia como uma forma de impedir que seus clientes de telefonia mudassem para outras empresas. Os assinantes da AT&T Wireless obtêm descontos e acesso gratuito ao HBO Max.

Antes de assumir como executivo-chefe no ano passado, Stankey era o estrategista-chefe de fusões da empresa. Mas seu histórico tem sido irregular. Além de planejar a compra da Time Warner pela AT&T, ele estava por trás da aquisição da operadora de satélite DirecTV por US$ 48 bilhões, em 2015.

O serviço tem perdido clientes há anos; em fevereiro, a AT&T vendeu parte do negócio para a firma de private equity TPG por cerca de US$ 16 bilhões, um terço do que pagou originalmente.

Fonte  The New York Times

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunistas

Informativo Cultural

Agenda

Devido a Lei de Quarentena da COVID-19, estaremos postando a agenda cultural de SC de 2020 após restabelecimento do controle da doença.

Facebook

Intervalo Cultural

Parceiros