Do palco ao digital: artistas se reinventam em virtude da pandemia

Os artistas saíram do palco. Foi necessário se reinventar. Com a quarentena decretada pelos governos estaduais e municipais em março deste ano em razão do Covid-19, todos os eventos artísticos foram cancelados. Apesar da recente flexibilização de algumas áreas de trabalho, o setor cultural permanece em quarentena e sem previsão de retorno. Com isso, profissionais que atuam na técnica, na produção e na criação artística precisaram, forçadamente, rever seus próximos passos.

O curso de Criação e Perfomance Literária realizado pelo Sarau Nuvem Colona, por exemplo, foi adaptado. O projeto foi contemplado no Edital 265/2019 e inicialmente estava previsto para acontecer presencialmente. Em razão da pandemia, o projeto foi reestruturado e com autorização da Secretaria de Cultura passou a ser a distância.

As organizadoras do projeto, produtoras culturais Alice Souto e Joana Golin, explicam que antes da pandemia os eventos culturais eram baseados na presença e agora foi preciso se adaptar. “Com muita paciência e persistência, a gente consegue fazer um trabalho bacana. É um desafio que nós trabalhadores da produção cultural estamos tendo e tornar o projeto online foi a alternativa que encontramos para solucionar os problemas impostos pela pandemia”, comenta Joana. “O trabalho artístico está muito ligado à saúde mental, tanto de quem produz como de quem consome. É importante dar vazão a esse espaço de criação de um artista em isolamento”, opina Alice.

Curso de criação e performance

Atualmente, o curso está realizando as oficinas gratuitas no formato online aos alunos inscritos. São oito encontros até o dia 31 de outubro ministrados por estudiosos da literatura: a mestre em Ciências Sociais, poeta, produtora cultural, professora e pesquisadora de cultura popular Joana Golin; a psicóloga, poeta e produtora cultural Alice Souto; o doutor em Literatura, professor, produtor cultural, poeta e músico Demétrio Panarotto; o mestre e doutorando em Teoria da Literatura, Gustavo Arthur Matte; o escritor, professor e editor na Caiaponte Edições, Marcelo Labes; e um grupo de poetas e performers independente chamado Grupo Poetas Vivos.

Após as oficinas, os alunos vão produzir um suplemento literário com textos criados durante o curso e escolhidos a partir de uma curadoria especializada. A publicação será distribuída gratuitamente em Chapecó possibilitando a democratização da produção local para comunidade.

“A partir do lançamento do primeiro número deste suplemento esperamos seguir adiante com sua comercialização apostando no caráter multiplicador e sustentável desta proposta”, comenta Alice. O objetivo é fomentar a produção de conteúdos autorais com foco identitário e regional: que os autores escrevam sobre vivência do cotidiano e da cidade, evidenciando, assim, a literatura regional.

Regionalidade

O projeto Sarau Nuvem Colona acontece de forma gratuita e une artistas para compartilharem seus projetos autorais. A ideia é dar visibilidade à produção literária local e fomentar a cadeia da produção literária da cidade, assim como o processo de criação coletivo. “O projeto revela e valoriza novos talentos locais e ressignifica o sentimento de pertencimento regional potencializando a multiculturalidade. A ideia é desenvolver uma literatura regional capaz de abarcar diversos olhares sobre a cidade e fomentar um sentido de identidade local e pertencimento aos que nela vivem”, explica Alice.


Bruna Deitos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunistas

Informativo Cultural

Agenda

Devido a Lei de Quarentena da COVID-19, estaremos postando a agenda cultural de SC de 2020 após restabelecimento do controle da doença.

Facebook

Intervalo Cultural

Parceiros